Você está em: Home> Aspirina e Saúde> Tudo sobre dor

Tudo sobre dor

Sabemos que as dores são normalmente algum tipo de alerta do nosso organismo para informar que algo está errado

Segundo estimativa do Journal of the American Medical Association, a perda ou diminuição da produtividade decorrente de dores representam mais de US$ 61 bilhões todos os anos. Mas, afinal, por que sentimos dor?

Essa é uma das perguntas mais comuns feitas por pessoas que sentem dor. E não é fácil de ser respondida. Sabemos que as dores são normalmente algum tipo de alerta do nosso organismo para nos informar que algo está errado. Desta forma, é importante não só aliviar a dor, mas principalmente tratar a causa.

Como a dor se desenvolve

A dor é uma experiência subjetiva e emocional que varia, portanto, de acordo com a ocasião e a pessoa. O estado psicológico desempenha um papel muito importante: é bem provável que uma injeção doa menos se não olharmos ela sendo aplicada do que ao encararmos realmente a agulha se aproximando.

Os mecanismos da dor não estão ainda completamente esclarecidos, pois trata-se de um processo complexo que envolve muitos receptores, vias nervosas e mediadores químicos. E a cada dia novas hipóteses são investigadas.

Para que a sensação de dor seja percebida é preciso que esta informação chegue até o sistema nervoso central. Para tanto é preciso a ativação de alguns receptores, chamados nociceptores. Quatro tipos de estímulos ativam esses receptores: elétricos, mecânicos, químicos e térmicos.

Algumas substâncias agem aumentando a sensibilidade dos nociceptores. É o caso das prostaglandinas, que são liberadas quando um tecido sofre uma lesão, seja um trauma mecânico, uma infecção ou até mesmo uma queimadura solar, por exemplo. Após sofrer a ação dessas substâncias, os nociceptores ficam mais sensíveis a qualquer estimulo, por menor que seja exacerbando a sensação dolorosa.


  • Se você deseja reportar um evento adverso ou queixa técnica, por favor, contate o seu médico ou clique aqui
  • Última atualização: 02/09/2014
  • Bayer HealthCare ® 2010 - Todos os direitos reservados - Design Foster
  • L.BR.CC.2010-04-26.0112
  • L.BR.CC.2011-11-11.0495
  • ESTE MEDICAMENTO É CONTRA INDICADO EM CASO DE SUSPEITA DE DENGUE.

  • Aspirina®: ácido acetilsalicílico
    Reg MS 1.7056.0020.
    Indicações: alívio sintomático de dores de intensidade leve a moderada, como dor de cabeça, dor de dente, dor de garganta, dor menstrual, dor muscular, dor nas articulações, dor nas costas, dor da artrite e alívio sintomático da dor e da febre nos resfriados ou gripes.
  • Aspirina® C: ácido acetilsalicílico, ácido ascórbico
    Reg MS 1.0429.0037
    Indicações: alívio sintomático da dor de cabeça, dor de dente, dor provocada por inflamação da garganta, dor muscular, dor articular, dor nas costas, e para o alívio sintomático da dor e da febre causadas por gripes e resfriados.
  • CafiAspirina®: ácido acetilsalicílico, cafeína
    Reg MS 1.7056.0015
    Indicações: dor e enxaqueca.

SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.