Perguntas Frequentes

O ingrediente ativo da Aspirina®, ácido acetilsalicílico, foi sintetizado pela primeira vez em 1897 por um jovem químico que trabalhava para a Bayer, o Dr. Felix Hoffmann. De acordo com a história, o cientista pesquisava um medicamento para alívio de dores reumáticas que fosse melhor tolerado pelos pacientes do que as alternativas disponíveis na época, como o ácido salicílico. Além do interesse profissional, o Dr. Hoffmann tinha também uma motivação particular para o desenvolvimento deste novo medicamento: seu pai tinha reumatismo e sofria com os indesejáveis efeitos adversos do uso do ácido salicílico, como náuseas e vômitos.
Em 1899, o ácido acetilsalicílico foi lançado no mercado alemão pela Bayer sob a marca registrada Aspirina®. O enorme sucesso do medicamento, ao longo dos mais de 100 anos de existência, popularizou o termo "aspirina" para designação geral de analgésicos contendo ácido acetilsalicílico. No entanto, a Aspirina® autêntica e original, conhecida no mundo todo, é a fabricada pela Bayer.
O ácido acetilsalicílico, ingrediente ativo da Aspirina® pertence ao grupo dos fármacos anti-inflamatórios não esteroides. Seu mecanismo de ação baseia-se na inibição da produção das prostaglandinas. As prostaglandinas são substâncias produzidas pelo nosso próprio organismo e que estão relacionadas aos processos inflamatórios e dor.
A síndrome de Reye é uma doença rara, mas grave, associada ao ácido acetilsalicílico. Esta síndrome, que pode até ser fatal, necessita de assistência médica imediata e tem como um dos sinais o aparecimento de vômitos prolongados durante um quadro febril. Produtos que contenham ácido acetilsalicílico não devem ser utilizados por crianças e adolescentes para quadros de infecções virais, com ou sem febre, sem antes consultar um médico.
Alguns medicamentos podem ter seu efeito alterado ou alterar o efeito de Aspirina®. Entre os medicamentos que podem ter interação com a Aspirina® podem ser citados os anticoagulantes derivados da cumarina, a digoxina, alguns anticonvulsivantes, diuréticos e anti-inflamatórios. Portanto, caso você já faça uso de algum outro medicamento, procure a orientação do seu médico ou do farmacêutico antes de utilizar Aspirina®.
O ácido acetilsalicílico quando tomado por pacientes que fazem uso de alguns medicamentos para controle de diabetes, pode reduzir os níveis de açúcar no sangue (glicemia) mais do que o esperado. Nestes casos, utilize Aspirina® somente sob orientação e acompanhamento médico.
Não, nenhum medicamento deve ser utilizado se o prazo de validade indicado na embalagem estiver vencido.
Você encontra os medicamentos da família Aspirina® da BAYER nas farmácias e drogarias.
Durante a gravidez todo medicamento deve ser utilizado somente sob orientação médica. Aspirina® somente deve ser utilizada durante os primeiros seis meses de gestação se orientada pelo médico. No último trimestre da gravidez o uso de Aspirina® é contraindicado.
Em geral, é recomendado ingeri-la depois de algum alimento, líquido ou sólido. Os comprimidos simples devem ser ingeridos com um pouco de água. O ácido acetilsalicílico em sua forma efervescente, como na Aspirina® Efervescente e na Aspirina® C, deve ser dissolvido em um copo de água. Vide Bula.
Aspirina® 500mg nas versões 10 comprimidos, 4 comprimidos e caixa com 20 comprimidos. Aspirina® MicroAtiva 4 comprimidos e caixa com 20 comprimidos. Aspirina® C 2 comprimidos efervescentes e caixa com 10. CafiAspirina® 4 comprimidos.
Aspirina® 500mg é indicada para o alívio sintomático de dores de intensidade leve a moderada como dor de cabeça, dor de dente, dor de garganta, dor menstrual, dor muscular, dor nas articulações, dor nas costas, dor da artrite. Aspirina® MicroAtiva é indicada para o alívio das dores de cabeça. Aspirina® C para dores associadas à gripe e resfriados. CafiAspirina® é indicada para enxaqueca.
Alívio da dor e febre causadas por gripes e resfriados.
Não tome Aspirina® se:
  • For alérgico ao ácido acetilsalicílico ou à salicilatos ou a qualquer dos ingredientes do medicamento. Se não tiver certeza de ser alérgico ao ácido acetilsalicílico, consulte o seu médico;
  • Tiver tendência para sangramentos;
  • Tiver úlceras do estômago ou do intestino;
  • Já tiver tido crise de asma induzida pela administração de salicilatos ou outras substâncias semelhantes, especialmente anti-inflamatórios não esteroidais;
  • Estiver em tratamento com metotrexato em doses iguais ou superiores a 15 mg por semana;
  • Estiver no último trimestre de gravidez;
  • Tiver alteração grave da função dos rins, do fígado, ou do coração.
  • É contraindicado em casos de dengue.

Em caso de dúvida, consulte sempre um profissional da saúde.
No caso de superdose, procure atendimento médico o mais rápido possível para que sejam tomadas as medidas necessárias de acordo com a gravidade da intoxicação. Se possível, leve a embalagem dos comprimidos.
Os comprimidos devem ser guardados na embalagem original, em temperatura ambiente (15 - 30°C) e protegidos da umidade; portanto, só retire os comprimidos da embalagem no momento em que for utilizá-los.
Cada comprimido contém 650 mg de ácido acetilsalicílico e 65 mg de cafeína.
CafiAspirina® é indicado para dor e enxaqueca.
Aspirina® é indicada para o alívio de dores ocasionais, não devendo ser utilizada em doses acima das preconizadas em bula nem por período prolongado. Siga sempre as orientações do médico ou farmacêutico e leia atentamente as informações de bula. Para os comprimidos simples ou efervescentes de Aspirina® para adultos, de um modo geral, recomenda-se não exceder 1 a 2 comprimidos a cada 4 a 8 horas, de forma a não ultrapassar a dose diária máxima de 8 comprimidos.
Não. Assim como alguns outros analgésicos de venda livre, Aspirina® contém ácido acetilsalicílico em sua formulação, substância contraindicada em caso de suspeita de dengue. Caso você tenha algum sintoma que possa ser sugestivo ou suspeite estar com dengue procure atendimento médico o mais rápido possível para se orientar quanto aos analgésicos que podem ser utilizados.
Voltar ao Topo